Valores das bandeiras tarifárias da conta de luz têm alta de até 63,7%

A Aneel aprovou nesta terça (21) novos valores das bandeiras para o período de julho de 2022 a junho de 2023

21 de Junho de 2022

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (21) novos valores das bandeiras tarifárias para o período de julho de 2022 a junho de 2023. A medida foi decidida pela Diretoria Colegiada da agência. A bandeira tarifária de julho será anunciada na sexta-feira (24) com os novos valores.

Assim como nos anos anteriores, a bandeira verde não terá custo para o consumidor, servindo para sinalizar condições mais favoráveis de geração de energia. Já a bandeira amarela terá um aumento de 59,3%, indo de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos no mês.

Também foi atualizada a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que foi de R$ 3,971 para R$ 6,50 a cada 100 kWh, representando uma alta de 63,7%. No caso da bandeira vermelha patamar 2, o valor aumentou de R$ 9,492 para R$ 9,795 a cada 100 kWh, um reajuste de 3,2%.

Bandeiras tarifárias – julho de 2022 a junho de 2023

Bandeira Verde

Condições favoráveis de geração

Sem custo adicional

Bandeira Amarela

Condições menos favoráveis

R$ 2,989 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos

Bandeira Vermelha 1

Condições desfavoráveis

R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos

Bandeira Vermelha 2

Condições muito desfavoráveis

R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos

Cálculo

A metodologia utilizada para calcular as bandeiras tarifárias retornam a ser a mesma de 2016, segundo a Aneel. Nesse modelo a bandeira vermelha patamar 2 cobre 95% dos eventos históricos conhecidos (e não 100% como no segundo semestre de 2021).

“O acréscimo verificado nos valores se deve, entre outros, aos dados do mercado de compra de energia durante o período de escassez hídrica em 2021, ao custo do despacho térmico em razão da alta do custo dos combustíveis e à correção pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que fechou 2021 com aumento de 10,06%”, afirma a Agência em nota.

Apesar disso, segundo a Aneel, os aumentos estão abaixo da bandeira de “escassez hídrica”, que vigorou entre setembro de 2021 e abril deste ano para arcar com os altos custos de geração diante da escassez hídrica do período. A medida previa cobrança extra de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos.

O que são as bandeiras tarifárias?

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 com o objetivo de sinalizar ao consumidor o custo da geração de energia elétrica no país. A medida ajudou a atenuar os efeitos no orçamento das distribuidoras.

Antes delas, as empresas eram obrigadas a carregar os custos, que só eram repassados às contas de luz no reajuste tarifário anual.

A bandeira verde, por exemplo, quando não há cobrança adicional, significa que o custo para produzir energia está baixo. Enquanto que as bandeiras amarela e vermelha representam um aumento no custo da geração e a necessidade de acionamento de térmicas, o que está ligado principalmente ao volume dos reservatórios e das chuvas.

Fonte: ND +

Últimas notícias

8

Campeões do Futebol de Campo Municipal de União do Oeste

Com forte presença da comunidade, os jogadores estiveram motivados para os confrontos ...leia mais
Há 12h