Pinhalzinho segue em lista de municípios infestados pelo mosquito Aedes aegypti

Outras cidades do Oeste também estão presentes no relatório

13 de Fevereiro de 2020

 

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulga o boletim n° 03/2020 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica de dengue, febre de chikungunya e zika vírus.

No período de 29 de dezembro de 2019 a 08 de fevereiro de 2020, foram identificados 5.994 focos do mosquito Aedes aegypti em 144 municípios. Comparando ao mesmo período de 2019, quando foram identificados 4.085 focos em 132 municípios, observa-se um aumento de 46,7% no número de focos detectados.

Em relação à situação entomológica, são 99 municípios considerados infestados, o que representa um incremento de 28,6% em relação ao mesmo período de 2019, que registrou 77 municípios nessa condição. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Dengue

O boletim epidemiológico da DIVE utiliza as informações dos casos suspeitos notificados pelos municípios no Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN On-line).

Esses dados estão disponíveis para os municípios, Secretarias Estaduais de Saúde e Ministério da Saúde. Diferente do Ministério da Saúde, que divulga os casos prováveis (todos os casos notificados, excluindo-se os descartados), a DIVE divulga os casos confirmados, suspeitos e descartados, por entender que dentre os casos prováveis, muitos estão aguardando resultados laboratoriais e investigação epidemiológica. A divulgação dos casos confirmados e descartados é feita após encerramento da investigação pelo município.

No período de 29 de dezembro de 2019 a 08 de fevereiro de 2020, foram notificados 428 casos de dengue em Santa Catarina. Desses, 52 (12%) foram confirmados (todos pelo critério laboratorial), 179 (42%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 197 (46%) estão sob investigação pelos municípios.

Do total de casos confirmados até o momento, sete (07) casos são autóctones (transmissão dentro do estado), 43 casos são importados (transmissão fora do estado), um (01) caso está em investigação de LPI e um (01) caso é indeterminado pois não foi possível definir o LPI.

Na comparação com o mesmo período de 2019, quando foram notificados 414 casos, observa-se um aumento de 3% na notificação de casos em 2020 (428 casos notificados).

Em relação aos casos confirmados, em 2020, até o momento foram confirmados 52 casos no estado, sendo que no mesmo período em 2019 haviam sido confirmados 24 casos.

Febre de chikungunya

No período de 29 de dezembro de 2019 a 08 de fevereiro de 2020, foram notificados 52 casos de febre de chikungunya em Santa Catarina. Desses, 21 (40%) foram descartados e 31 (60%) permanecem como suspeitos.

Em comparação com o mesmo período de 2019, quando foram notificados 84 casos de febre de chikungunya, observa-se uma redução de 38% na notificação de casos em 2020 (52 casos notificados).

Em 2020, até o momento, não foram confirmados casos no estado; no mesmo período, em 2019, havia sido confirmado três (03) casos.

Zika vírus

No período de 29 de dezembro de 2019 a 08 de fevereiro de 2020 foram notificados 11 casos de zika vírus em Santa Catarina. Desses, seis (06) (55%) foram descartados e cinco (05) (45%) permanecem como suspeitos.

Em comparação com o mesmo período de 2019, quando foram notificados 20 casos, observa-se uma diminuição de 45% na notificação de casos em 2020 (11 casos notificados).

Últimas notícias