Luzes desconhecidas no céu e símbolos em praia intrigam moradores do RS

Fenômenos foram relatados nas redes sociais e geraram curiosidade

29 de Junho de 2020

Duas esferas coloridas, variando entre o dourado e o laranja, de tamanho indefinido, foram avistadas percorrendo o céu do Litoral Norte próximo à beira-mar, entre Magistério e Torres, por volta das 19h30min da terça-feira passada (23). Antes de desaparecerem, elas teriam causado uma espécie de explosão sem som, chegando a iluminar as poucas nuvens existentes naquele momento. Tudo não passou de segundos, mas a imagem ficou guardada na mente de quem presenciou a cena.

Para o ufólogo e editor da revista UFO, Ademar José Gevaerd, os relatos dos moradores do Litoral Norte indicam ter se tratado de um fenômeno ufológico. Gevaerd diz que a região do litoral gaúcho até Araranguá, em Santa Catarina, é uma área de grande intensidade de avistamento de ovnis.

— Tudo indica que seja, pelo horário, por ter sido sobre o Litoral e com o tempo bom. Mas não há o que temer. Estes fenômenos são inofensivos. Deve haver formas de vida mais avançadas no universo e porque não estariam explorando outros planetas, como nós faremos quando tivermos tecnologia para isso — justifica Gevaerd.

Já o engenheiro químico e fundador do Movimento Gaúcho de Ufologia, Carlos Odone, revela receber muitos relatos de avistamentos na região de Cidreira. Inclusive, ocorridos nesta semana. Por conta da pandemia de coronavírus, ele não conseguiu se deslocar até a cidade para ver in loco as áreas de avistamento. Ele pretende percorrer a região em breve.

O Litoral Norte gaúcho é conhecido por especialistas em ufologia (estudos relacionados a óvnis) do mundo inteiro porque teria uma passagem para outra dimensão entre o mar e a Lagoa da Fortaleza, próximo à praia das Cabras, no limite de Cidreira e Tramandaí.

Entre os relatos de fatos incomuns na região nas últimas décadas, estão luzes movimentando-se no céu em alta velocidade e desaparecendo misteriosamente, pratos giratórios gigantes sugando areia das dunas no entorno da Fortaleza, carros que pararam de funcionar por alguns minutos na RS-786, por onde passaria este portal e até a abdução (suposto sequestro ou rapto de um ser humano por extraterrestres) de pelo menos um morador.

Em 2018, o canal de televisão History Channel fez, inclusive, um episódio inteiro sobre o portal dimensional para a série brasileira De Carona com os Óvnis, que descreve os fenômenos ufológicos no Brasil.

No dia seguinte à suposta aparição no céu do Litoral gaúcho, em 24 de junho, data conhecida por ser o dia mundial do disco voador, a areia da praia de Tramandaí surpreendeu o pintor Luis Ricardo da Silveira, 47 anos, enquanto ele fazia a caminhada matinal. Sem marcas de pés ao redor, lado a lado, círculos perfeitos estavam desenhados no chão, numa área em direção à barra entre Tramandaí-Imbé. Um deles, o maior, tinha outros 16 ao seu redor. Silveira fez a foto e compartilhou com um amigo, cuja filha, a estudante Lanna Briance, 23 anos, havia fotografado imagem semelhante uma semana antes, no mesmo local.

— É como se tivessem largado uma cuia de chimarrão em cima da areia, formando um círculo perfeito. No nosso caso, era mais de um círculo e eles eram simétricos e alinhados, numa distância igualmente perfeita. Não sei mesmo se foi alguém que fez — comenta Lanna.

O ufólogo Ademar José Gevaerd analisou as imagens e descartou a possibilidade de ter algum vínculo com Ufos.

— Isso não é nada. É uma obra de arte — resumiu, de forma enfática. As informações são da Gaúcha ZH.

Últimas notícias