Catarinenses retornam da Nova Zelândia com auxílio do governo de SC

No grupo também estavam moradores de Caçador, no Meio Oeste

29 de Junho de 2020

 

Depois de três anos morando na Nova Zelândia, o casal Cristian Oliveira e Caroline Rocha e o filho Heitor, de quatro anos, conseguiram voltar para a casa que deixaram em Itajaí. O caminho de volta é encarado como um recomeço perto da família.

“A gente estava inseguro e preocupado, quando surgiu a oportunidade de voltar, não pensamos duas vezes”, contou o carpinteiro que atuava na construção civil. A família queria continuar morando na Nova Zelândia, mas a pandemia mudou os planos, Cristian perdeu o emprego e a situação financeira começou a ficar difícil.

“Agora estamos em casa, vamos avaliar tudo com calma e fazer um novo recomeço. Por enquanto, quero aproveitar a família por perto e saber como eles estão”, disse Caroline. A irmã dela, foi quem os recebeu. As lágrimas substituíram os beijos e abraços que, em outros tempos, marcariam o reencontro.

A família de Itajaí faz parte do grupo de 12 catarinenses que estavam com dificuldades de sair da Nova Zelândia para voltar a Santa Catarina. Com a ajuda do Governo do Estado, neste sábado (27) eles conseguiram retornar.

“É uma alegria receber e acolher essas pessoas que estavam passando por dificuldades, numa situação de insegurança e longe do apoio da família. Essa volta para a casa representa esperança e reforça nosso compromisso de cuidar dos catarinenses, especialmente neste momento”, disse o governador Carlos Moisés.

180 catarinenses repatriados

Com trabalho e diálogo junto às embaixadas do Brasil em diversos países, já foram repatriados 180 catarinenses. Além do grupo da Nova Zelândia, houve auxílio para catarinenses em Portugal, França, Itália, Estados Unidos, Indonésia, Índia, Argentina, Chile e Bolívia.

A SAI também atua na assistência de catarinenses que estão precisando de cestas básicas, abrigos, medicamentos e alimentos em outros países. “A pandemia agrava ainda mais a situação dessas pessoas que já estão com dificuldades financeiras e abaladas psicologicamente. Nosso papel é ajudá-las. Hoje conseguimos cumprir a missão de garantir que todos chegassem bem em suas casas”, comemorou Júlia.

Governo garantiu transporte

O ônibus e os dois veículos saíram do Centro Administrativo do Governo do Estado, na manhã de sexta-feira (26), para buscar os catarinenses em São Paulo. “Nos programamos para estar com antecedência no aeroporto de Guarulhos e preparar uma recepção tranquila para eles”, disse o tenente-coronel BM George de Vargas Ferreira, que coordenou a operação para o transporte dos catarinenses repatriados.

Eles saíram de São Paulo por volta das 23h e a viagem até Santa Catarina durou pouco mais de sete horas. “Preparamos uma logística que garantisse o máximo de zelo e cuidado no transporte”, explicou Ferreira.

Últimas notícias