Estudante que teve ajuda dos pais para ter acesso a internet conhece estádio do Inter

Atitude da família ganhou repercussão nacional

16 de Setembro de 2020

 

A história de Alan Somavilla emocionou o Rio Grande do Sul. Morador do distrito de Itaúba, localizado no interior de Estrela Velha, região central do estado, o jovem de 11 anos viu seus pais construírem uma tenda de estudos dentro da lavoura de soja da família para que pudesse acompanhar, do local com melhor conexão à internet na propriedade, as aulas virtuais do sexto ano.

Símbolo das dificuldades que milhares de alunos e alunas têm encarado na adaptação ao ensino remoto, o garoto divide, em sua rotina, a dedicação aos livros – em especial os de português, sua matéria preferida – com a paixão pelo Inter, coloradismo que viveu capítulo ímpar na tarde desta terça-feira (15), quando conheceu o Gigante da Beira-Rio.

O dia começou cedo para Alan, que precisou encarar mais de quatro horas de viagem até a capital gaúcha. Visitando Porto Alegre pela primeira vez, o garoto não pôde assistir às aulas da manhã, mas teve sua ausência mais do que justificada. Afinal de contas, a convite do Internacional teria o privilégio de pisar pela primeira vez no gramado do Beira-Rio.

“Ele herdou a paixão do pai, o Odilésio, que também é colorado. No caminho até aqui, ficou encantado com tudo que via pela estrada. Estava empolgado”, revelou, orgulhosa, Dejanira Somavilla, mãe. Além dela, também estavam com o estudante a tia, Giane Somavilla, a diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental (EEEF) de Itaúba, Giovana Dalcin, e Cássio Dalcin, escolhido como motorista.

Uma vez no Gigante, Alan primeiro passeou pelo complexo, visitando loja e conhecendo a estátua do Fernandão. Aos 11 anos, o estudante não chegou a assistir aos cabeceios fulminantes do eterno capitão colorado, mas nem por isso deixa de reverenciar a história construída pelo camisa nove no Inter, como comprova a máscara que usava, estampada com a assinatura do ídolo. Quando questionado sobre seu atleta preferido, porém, a resposta surge pronta, afiada: “D’Alessandro”.

O relógio já indicava 15h quando Alan adentrou os portões da casa colorada. Após passar – e registrar com as devidas fotos – por zona mista e túnel de vestiários do Gigante, subiu as escadas rumo ao campo. Embora tímido, não conseguiu esconder a alegria de conhecer pessoalmente o endereço que tantas vezes admirou pela TV, sentimento atestado no sorriso de seus olhos, evidente apesar de qualquer máscara. Na beira do campo, fez questão de tocar o gramado do Beira-Rio, depositando as melhores energias possíveis no sagrado solo alvirrubro.

Na sequência, Alan recebeu um kit escolar de produtos oficiais do Clube do Povo e a atual camisa vermelha do Colorado. Atacante nos jogos que disputa com os amigos, posou com o manto como se fora atleta profissional, tomando o Beira-Rio como moldura perfeita para a inesquecível lembrança. Com a camisa ainda em mãos, admirou as arquibancadas por alguns minutos antes de iniciar o retorno para casa, com a promessa de que voltará ao Gigante, assim que possível, para torcer pelo Inter e conhecer pessoalmente seus ídolos. A caminho do carro, o estudante, que sonha em cursar direito, externou toda sua emoção ao confidenciar que, depois de hoje, quem sabe não passe a mirar outra profissão, a de jogador de futebol.

 

Últimas notícias