Investigação descobre que menina inventa ter sido raptada e estuprada em Pinhalzinho

Ela responderá a procedimento policial por falsa comunicação de crime

Há 6d

A Polícia Civil de Pinhalzinho, desvendou um caso de falsa comunicação de crime. Os fatos aconteceram na noite de 29 de setembro, quando uma menina de 15 anos chegou ao hospital relatando ter sido vítima de estupro.

Os policiais compareceram ao local na ocasião para entrevistar a suposta vítima e seus familiares e dar início à investigação.

Segundo a adolescente, ela estaria indo no final daquela tarde à Praça do Lago, quando teria sido raptada por dois homens que dirigiam um carro preto. Ainda segundo ela, ambos a levaram para um local de difícil acesso, onde a estupraram.

Nos dias que passaram, a equipe passou a realizar várias diligências para esclarecer o ocorrido e identificar os supostos agressores.

Ocorre que os elementos coletados demonstraram que não aconteceu. Através da análise de imagens de videomonitoramento e de dados, e do ato de ouvir as testemunhas, dos exames periciais realizados e demais medidas adotadas, ficou evidenciado que a menor havia mentido sobre o ocorrido.

Ao ser novamente intimada, ela, na companhia de sua mãe, ao ser confrontada com as provas colhidas, admitiu ao delegado Jerônimo Ferreira e à policial responsável que inventou o fato, revelando inclusive os motivos que a levaram a fazer isso.

Ela agora responderá a procedimento policial pela falsa comunicação de crime, bem como será encaminhada ao Conselho Tutelar e ao Centro de Referência de Assistência Social para que sua situação seja acompanhada de perto.

A motivação não será revelada por se tratar de situação de cunho íntimo.

 

 

 

Últimas notícias