Fábrica produz 70 caixões por dia em Modelo

Empresa tem 29 funcionários

Henrique Paulo Koch
Por Henrique Paulo Koch
31/10/2023, 21:56
Atualizado há 7 meses
WhatsappFacebookTwitterTelegram
Fábrica entrega o produto para os três estados do Sul (Foto: Renan Ribeiro)Fábrica entrega o produto para os três estados do Sul (Foto: Renan Ribeiro)

Ao perder um ente querido, além de lidar com o luto, os familiares precisam ocupar-se com uma série de decisões que, muitas vezes, são difíceis. Por exemplo, a escolha do modelo do caixão pode fazer com que “caia a ficha” sobre o ocorrido, potencializando sentimentos.

Na linha Pitinga, no interior do município de Modelo, encontramos uma empresa que migrou do ramo de móveis para atuar com urnas funerárias. No local existe uma organização logística, seguindo um padrão de produção com máquinas para cortes, colagem e pintura. São 29 funcionários distribuídos pelo barracão, cada um faz um processo, até que o produto seja finalizado.

O processo e montagem

Tudo começa no formato e modelo da urna, a matéria-prima em MDF é cortada e as tábuas são grampeadas e os reforços de madeira são fixados. Dentro de uma cabine, o artefato recebe uma pintura com tinta e verniz. Em seguida, as alças e os varões são aparafusados, assim como a sobretampa.

Após tudo isso, é aplicado verniz para um melhor acabamento. Na fábrica, a montagem é feita de forma eficaz, chegando ao número de 70 unidades por dia, feitas em diferentes tamanhos.

Um dos proprietários Delmar Artigas do Amaral, comenta que a atividade é feita normalmente, sem medos ou receios. 

“Não tem esse estigma não, apenas no inicio quando fizemos a mudança houve uma certa resistência por parte dos colaboradores, mas depois que se acostuma, é tudo normal”, disse.

 

Relacionadas: