Presos trabalharão com mais frequência em cidades do Oeste

Intenção de projeto é que os detentos auxiliem em reformas de escolas

Henrique Paulo Koch
Por Henrique Paulo Koch
29/01/2024, 14:01
Atualizado há 6 meses
WhatsappFacebookTwitterTelegram
 Apenados em atividade de mão de obra (Foto: Divulgação) Apenados em atividade de mão de obra (Foto: Divulgação)

Recentemente, a Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa formalizou um termo de cooperação, visando utilizar a mão de obra de presos provenientes de diversas regiões do estado para realizar serviços de limpeza e reformas em escolas estaduais durante o período de férias escolares.

No primeiro semestre de 2024, em sua fase piloto, o projeto irá atender a cidades de São José do Cedro e Chapecó. Segundo o secretário do sistema penitenciário, Carlos Alves, a principal meta do Governo do Estado é oportunizar condições de ressocialização dos apenados por meio da atividade laboral. 

“Qualquer investimento que façamos em programas de educação, capacitação profissional e de atividade laboral é influencia diretamente na construção de um ambiente prisional mais eficiente, na redução da criminalidade e na melhora da segurança pública”, destacou.

Além do recente acordo, atualmente 29 municípios catarinenses tem algum tipo de incentivo de trabalho. Esses acordos proporcionam oportunidades de emprego e remissão de pena para cerca de 550 detentos em regime semiaberto.

Relacionadas: