PublicidadeTaça RCO

Laboratório de tecnologia fortalece produção leiteira

Somente Minas Gerais e São Paulo contavam com estrutura semelhante

Henrique Paulo Koch
Por Henrique Paulo Koch
04/03/2024, 17:25
Atualizado há cerca de 2 meses
WhatsappFacebookTwitterTelegram
Estrutura é um diferencial no estado (Foto: Diogo Ferronato)Estrutura é um diferencial no estado (Foto: Diogo Ferronato)

Contribuindo para o desenvolvimento da cadeia produtiva do leite a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) inaugurou a obra de edificação do Núcleo de Ciência, Tecnologia e Inovação do Leite (NCTI).

Com iniciativa e articulação da Bancada do Oeste na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), o NCTI será operacionalizado em Pinhalzinho. Segundo o reitor Dilmar Baretta, o projeto consolida o Estado como um dos maiores mercados leiteiros do país.

“A implantação do núcleo consolidará a Rota de Integração do Leite na faixa de fronteira de Santa Catarina, onde estão 82 municípios”, afirma.

 

 

NCTI do Leite terá três pilares

Inserido neste contexto da produção leiteira de Santa Catarina, o principal foco do NCTI do Leite será gerar tecnologia e difundir conhecimento entre os diversos elos da cadeia produtiva do leite. A estrutura do local conta com 3.948m² de edificações, que comportarão três áreas principais:

Indústria de lácteos em escala piloto: terá equipamentos para o processamento de leite e derivados, em escala piloto, e será utilizada para cursos, treinamentos, teste de ingredientes, desenvolvimento e melhoramento de produtos. O objetivo é promover a inovação, diversificação de produtos e otimização de processos.

Laboratório de pesquisa e inovação em leite e derivados: serão instalados equipamentos de alta tecnologia para a caracterização do leite e de produtos lácteos. O laboratório será voltado para a pesquisa aplicada em busca de soluções diante das necessidades do setor lácteo, com estudo de componentes, produtos e processos para toda a cadeia produtiva.

Laboratório da qualidade do leite: terá equipamentos específicos para análise da qualidade do leite, incluindo contagem de células somáticas (CCS) – que são células indicativas da saúde do animal; contagem padrão em placas (CPP) – que quantifica bactérias aeróbias do leite cru; análise de contaminantes, medicamentos e parâmetros físico-químicos. 

Os dados servirão de subsídio para o estudo da cadeia produtiva, podendo indicar alternativas para a melhoria do gado leiteiro, através de estudos de melhoramento genético e implantação de novas técnicas de nutrição animal.

Relacionadas: