Mais um estudo escancara situação precária de cinco BRs

Levantamento destaca 630 quilômetros e alerta necessidade de recursos para melhorar os trechos

Henrique Paulo
Por Henrique Paulo
17/11/2023, 18:13
Atualizado há 8 meses
WhatsappFacebookTwitterTelegram
Trecho da BR-158 em Cunha Porã (Foto: Ricardo Saporiti)Trecho da BR-158 em Cunha Porã (Foto: Ricardo Saporiti)

A Federação das Indústrias apresentou nesta quinta-feira, dia 16, um estudo que mostra a situação de trechos das BRs 470, 153, 282, 158 e 163. A análise, realizada pelo engenheiro Ricardo Saporiti, contempla 630 quilômetros percorridos, e foi realizada nos meses de agosto e setembro, ou seja, no período pré-chuvas — então a situação pode ter se agravado. 

Ao longo de uma extensão aproximada de 4.500 metros do perímetro urbano de Pinhalzinho, o pavimento apresenta vários pontos necessitando de restaurações. O subtrecho , entre Cordilheira Alta, Nova Itaberaba e Nova Erechim, numa extensão aproximada de 43 km, foi recentemente restaurado e sinalizado, inclusive as terceiras faixas. 

Na expectativa da execução das obras de construção da “interseção das BRs 282 e 158/SC, recomenda-se agilidade na contratação de projetos executivos relativos à implantação e à pavimentação asfáltica de Maravilha, passando por Bom Jesus do Oeste e Campo Erê, e posteriormente, seguindo a Vitorino e Pato Branco, no Paraná.

BR-282 está deteriorando

No trecho de São Miguel do Oeste a Guaraciaba, há diversos pontos da pista com buracos, afundamentos e recalque do pavimento. A análise mostra que a situação é precária e necessitando, a curto prazo, de um novo traçado que possibilite o desvio do tráfego pesado que passa por essas cidades. Também há um viaduto, no acesso a Paraíso, em estado de abandono. 

Relacionadas: